Diário da Cia. Arthur-Arnaldo por Tuna Serzedello
   
 
 

  Histórico

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros sites
 Cia. Arthur-Arnaldo
 Soledad Yunge
 Cooperativa Paulista de Teatro
 Projeto Conexões
 Cultura e Mercado
 Oficina de Teatro
 OPalco
 Colherada Cultural
 Nelson Peres
 Sérgio Melo
 Laerte Mello
 Atire no dramaturgo
 Marcelo Rubens Paiva
 Plínio Marcos - site oficial
 Coleção Aplauso




 

 
 

Sobre as montagens da Cia. Arthur-Arnaldo para o Programa da Exposição - Cia. Arthur-Arnaldo 10 anos de Teatro Jovem.


Os Pés murchos  X Os Cabeças de Bagre, de Tuna Serzedello (direção Soledad Yunge)

 

Durante muitos anos quisemos tanto fazer uma peça sobre a historia do futebol...

Escrevemos projetos, tentamos editais, ficamos até que na “boca do gol” mas não marcamos. Jogamos para escanteio o querido projeto.

Um dia pensamos que já tinha passado tanto tempo que queríamos fazer esse espetáculo, desde quando ainda sonhávamos em ser sede da Copa do Mundo, que decidimos montar sem nenhuma verba, edital ou apoio. A copa seria aqui e queríamos falar com as crianças sobre a origem e tantas curiosidades desse esporte tão parte da nossa cultura.

Fizemos! Na raça! No campinho mesmo, sem grandes expectativas.

 

A decisão foi fazer um espetáculo mais família e para jovens mais jovens do que os das nossas platéias habituais.

Fomos muito felizes ! Nos divertimos a valer com as crianças subindo no palco, chutando e querendo jogar como se estivessem num estádio.

 

Nosso campinho virou um estádio gigante!



Escrito por Tuna Serzedello às 22h29
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Sobre as montagens da Cia. Arthur-Arnaldo para o Programa da Exposição - Cia. Arthur-Arnaldo 10 anos de Teatro Jovem.


Coro dos Maus alunos, de Tiago Rodrigues (direção Tuna Serzedello)

Coro dos Maus alunos é um texto sofisticado, complexo e  sem ações dramáticas. Uma versão contemporânea do julgamento de Sócrates na versão do talentoso autor português Tiago Rodrigues.

A proposta da encenação foi um desafio para todos da equipe. Queríamos uma montagem que nos permitisse apresentar o espetáculo em qualquer lugar. Qualquer um mesmo, ainda que não tivesse estrutura de som e luz. Uma obra autônoma na qual os atores operam o som e a luz de dentro da cena.

Os jovens passam a maior parte da vida na escola. Tínhamos que fazer um espetáculo sobre esse lugar e relações. A crise na educação, os professores infelizes, os alunos infelizes, uma escola velha num mundo novo.

 

Estivemos em todos os tipos de teatros e lugares. De grandes palcos italianos super equipados dos quais não precisávamos a pátios de escolas de periferia e escolas ocupadas por secundaristas - foi o trabalho que mais mobilizou e promoveu diálogos importantes entre gerações. É um dos espetáculos que permanece em nosso repertório real e afetivo.



Escrito por Tuna Serzedello às 22h28
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Sobre as montagens da Cia. Arthur-Arnaldo para o Programa da Exposição - Cia. Arthur-Arnaldo 10 anos de Teatro Jovem.


Feizbuk, de José Maria Muscari (direção Tuna Serzedello)

 

Um texto que é um pretexto. “Se você não sabe se mostrar você não existe”. Uma peça que nos fez refletir sobre as relações contemporâneas e o vazio que faz com que postemos fotos da comida do nosso prato. O mais bacana foi retratar o público a cada apresentação, tirar fotos, postar no facebook, criar nossa rede de relações na internet e vibrar com a diversão de um evento ao vivo e em tempo real na tela do cenário. Confira na comunidade Feizbuk Brasil. 



Escrito por Tuna Serzedello às 22h27
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Sobre as montagens da Cia. Arthur-Arnaldo para o Programa da Exposição - Cia. Arthur-Arnaldo 10 anos de Teatro Jovem.


 

DNA, de Dennis Kelly (direção Tuna Serzedello)

 

Um texto que é um thriller e o desafio de trabalhar com o gênero suspense no teatro nos atraíram para essa brilhante dramaturgia de Dennis Kelly. A narrativa de tensão e a violência que o texto apresenta estavam alinhadas com muitas notícias e relatos de histórias de violência e crueldade que estavam na mídia ou chegavam até nós. A questão da ética e dos valoresa possibilidade de lançar um debate sobre o indivíduo  X  o coletivo nos mobilizaram a produzir essa montagem. Não foi uma escolha fácil ter uma equipe de 11 atores. Aprendemos muito ao trabalhar nessa escala de criação a tantas mãos. Mas valeu a pena. Voltamos a falar de bullying, de violência, de tribos, de identidade. E esse espetáculo nos fez ter certeza de que queríamos continuar buscando essas platéias. Foi com esse espetáculo que a companhia firmou sua prática pedagógica de mediação de espetáculos para platéias jovens.



Escrito por Tuna Serzedello às 22h26
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Sobre as montagens da Cia. Arthur-Arnaldo para o Programa da Exposição - Cia. Arthur-Arnaldo 10 anos de Teatro Jovem.


 

Cidadania, de Mark Ravenhill (direção Tuna Serzedello)

 

Cidadania foi o segundo espetáculo. Depois do entusiasmo com a montagem de  Bate Papo quisemos mais. Falar de outros assuntos, dialogar com nossas platéias que se mostraram surpresas e motivadas com a possibilidade de ir ao teatro, e se ver retratadas com personagens de sua idade e conflitos ou questionamentos com os quais podiam se relacionar. Escolhemos um texto sobre sexualidade.  Ir direto a um dos assuntos mais polêmicos e complexos da humanidade. Todas as discussões sobre gênero estavam surgindo, mas nada que chegasse perto da riqueza e complexidade que vivemos apenas 9 anos depois. Um adolescente que sonha que está sendo beijado, mas não vê quem o beija. É um homem ou uma mulher? Gosta de meninos ou de meninas? Como saber do que gosta? Uma jornada de busca e descoberta, com sensibilidade e humor. Fizemos uma montagem que teve bastante repercussão e nos deparamos com o preconceito dos adultos em relação a esse tema que os jovens tiram de letra. Descobrimos o quanto a sexualidade ainda define muito da nossa identidade, por isso voltamos, sete anos depois, para esse tema na escrita do texto Rolê.



Escrito por Tuna Serzedello às 22h25
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Sobre as montagens da Cia. Arthur-Arnaldo para o Programa da Exposição - Cia. Arthur-Arnaldo 10 anos de Teatro Jovem.


 

Bate Papo, de Enda Walsh (direção Tuna Serzedello)

 

 

Esse texto, essa montagem, a maneira como tudo aconteceu e como se deram as escolhas são emblemáticas de como queremos funcionar profissionalmente e afetivamente dentro da nossa companhia. Nos anos 2000 a internet já não era mais tão nova, mas começávamos a ver as repercussões que ela teria em nossas vidas. As salas de bate-papo que antecederam o Orkut e o Facebook eram o lugar de encontro com estranhos com nicknames em salas temáticas. E quando ainda se começava a falar de cyberbullying, vimos o primeiro caso de um adolescente brasileiro que se suicidou pedindo conselhos de como fazer e transmitiu seus passos pela rede. O texto que inicialmente nos pareceu uma grande metáfora nos abriu as portas de um mundo virtual que começava, e que não imaginávamos o quanto seria norteador das próximas gerações. A montagem ficou em nosso repertório por cinco anos. Fizemos inúmeras apresentações seguidas de rodas de conversa e debates inspiradores na decisão de seguir montando textos para jovens.



Escrito por Tuna Serzedello às 22h25
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Sobre as montagens da Cia. Arthur-Arnaldo para o Programa da Exposição - Cia. Arthur-Arnaldo 10 anos de Teatro Jovem.


 

Bate Papo, de Enda Walsh (direção Tuna Serzedello)

 

 

Esse texto, essa montagem, a maneira como tudo aconteceu e como se deram as escolhas são emblemáticas de como queremos funcionar profissionalmente e afetivamente dentro da nossa companhia. Nos anos 2000 a internet já não era mais tão nova, mas começávamos a ver as repercussões que ela teria em nossas vidas. As salas de bate-papo que antecederam o Orkut e o Facebook eram o lugar de encontro com estranhos com nicknames em salas temáticas. E quando ainda se começava a falar de cyberbullying, vimos o primeiro caso de um adolescente brasileiro que se suicidou pedindo conselhos de como fazer e transmitiu seus passos pela rede. O texto que inicialmente nos pareceu uma grande metáfora nos abriu as portas de um mundo virtual que começava, e que não imaginávamos o quanto seria norteador das próximas gerações. A montagem ficou em nosso repertório por cinco anos. Fizemos inúmeras apresentações seguidas de rodas de conversa e debates inspiradores na decisão de seguir montando textos para jovens.



Escrito por Tuna Serzedello às 22h24
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Textos do Programa - Cia. Arthur-Arnaldo 10 anos de Teatro Jovem.

Abertura:

Em 2007 conhecemos um autor e encontramos um texto que foi o início de tudo.

 

Nosso projeto de fazer teatro para jovens nasceu de encontros improváveis não planejados, mas que soubemos reconhecer como possibilidade de arriscar algo que queríamos muito, sem intenção de acertar.

 

Não nos juntamos com a intenção de ter uma companhia ou um projeto continuado com jovens e para jovens, mas foi o texto Bate Papo que nos permitiu olhar para essas novas platéias e atores, décadas mais jovens que nós, deslocados do que conhecíamos e pensávamos.

Tudo o que veio depois acho que é fruto desse primeiro impulso.

Esse texto precioso, um quase amuleto ou galharufa, nos acompanha sempre e não nos deixa esquecer o que importa dentro do nosso ofício tão desafiador.

 

Obrigada Carú, Júlia, Tuna e Taiguara pelos 10 anos de convívio e aprendizados.

Obrigada Luisa por chegar para nos completar.

 

Obrigada a cada um dos jovens que estiveram conosco nesta década.

Foram sempre eles o motivo de tudo existir.

 

É emocionante e motivo de enorme orgulho estarmos aqui hoje.

 

Soledad Yunge

 

 



Escrito por Tuna Serzedello às 22h22
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Cia. Arthur-Arnaldo - 10 anos de Teatro Jovem.

Leituras e Exposição. Abertura no próximo sábado, 16 de setembro de 2017 com leitura da peça "Bate-Papo" de Enda Walsh as 18h!



Escrito por Tuna Serzedello às 14h13
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Quer acompanhar e colaborar com uma montagem teatral? Quer conferir ao vivo como são feitas as decisões e a criação do que você irá ver em cena?
Então não perca essa oportunidade e inscreva-se no chamamento da Cia. Arthur-Arnaldo de Teatro São 7 vagas.
Aproveite!



Escrito por Tuna Serzedello às 14h14
[] [envie esta mensagem
] []


 

 



Escrito por Tuna Serzedello às 11h15
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

 

 

Cia. Arthur-Arnaldo celebra 10 anos de teatro jovem

na Oficina Cultural Oswald de Andrade

 

Leituras, exposição, repertório de espetáculos e estreia de texto inédito fazem parte programação

 

Entre os dias 16 de setembro a 21 de outubro, a Cia Arthur – Arnaldo celebra seus 10 anos de teatro com uma série de atividades na Oficina Cultural Oswald de Andrade, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis.

 

Contemplado pela 30ª edição do Programa Municipal de Fomento ao teatro para a Cidade de São Paulo, a companhia também prepara uma residência para mostrar o repertorio, celebrar o passado e estrear um novo espetáculo. “Celebramos também o protagonismo dos jovens que tiveram participação importante em episódios recentes da nossa vida política”, afirma a diretora Soledad Yunge.

 

A programação começa no dia 16 de setembro às 18h com Leitura da peça “Bate papo” de Enda Walsh. Nos dias 21, 22 e 23 às 20h acontecem as apresentações da peça CORO DOS MAUS ALUNOS de Tiago Rodrigues; já no dia 30 às 18h o público poderá acompanhar a leitura da peça “Cidadania” de Mark Ravenhill.

 

Todas as leituras, realizadas em sua maioria pelo elenco de atores original da montagem, serão seguidas de debates com a mediação de jovens estudantes. “Os especialistas em juventude são os próprios jovens” afirma o diretor Tuna Serzedello. Nas conversas após as leituras, serão abordados aspectos da dramaturgia para jovens e os temas abordados nos textos – todos de autores contemporâneos. As leituras serão acompanhadas de uma exposição com fotos, objetos cênicos e curiosidades das montagens de cada um dos espetáculos. 

 

Já em outubro o público poderá também rever espetáculos recentes da Cia. como “Coro dos Maus Alunos” de Tiago Rodrigues que estreou em 2013 e “Rolê” de Tuna Serzedello de 2015. Cada peça terá 3 apresentações com entrada franca e ingressos distribuídos 1 hora antes do início das sessões. Em novembro, a Cia. prepara a estreia do espetáculo “Mártir” de Marius Von Mayenburg com direção de Soledad Yunge.

 

SERVIÇO

 

Cia. Arthur-Arnaldo - 10 anos de teatro jovem.

 Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade (Rua Três Rios, 363) – próximo a estação Tiradentes do metrô.

Quando: de 16 de setembro a 21 de outubro

Quanto: Entrada Franca

 

AGENDA

 

SETEMBRO

 

Sábado dia 16 de setembro- Leitura da peça BATE PAPO, de Enda Walsh com mediação de jovens às 18h.

 

Quinta, sexta e sábado 21, 22 e 23 de setembro - apresentações da peça CORO DOS MAUS ALUNOS de Tiago Rodrigues às 20h.

 

Sábado dia 30 de setembro- Leitura da peça CIDADANIA, de Mark Ravenhill com mediação de jovens às 18h.

 OUTUBRO

 

Sábado dia 7 de outubro - Leitura da peça DNA, de Dennis Kelly com mediação de jovens às 19h.

 

Sábado dia 14 de outubro- Leitura da peça FEIZBUK, de José Maria Muscari com mediação de jovens às 19h.

 

Quinta, sexta e sábado 19, 20 e 21 de outubro  - apresentações da peça ROLÊ de Tuna Serzedello às 20h.


 



Escrito por Tuna Serzedello às 09h47
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Chamada!




Escrito por Tuna Serzedello às 16h57
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Espetáculo Rolê da Cia. Arthur-Arnaldo tem apresentação gratuita em Lençóis Paulista!



Escrito por Tuna Serzedello às 15h12
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

"Rolê" de Tuna Serzedello neste final de semana no SESC SOROCABA com Entrada Franca!

Rolê
Foto: Edson Kumasaka
12

Não permitido ou recomendado para menores de 12 anos

Sesc Sorocaba apresenta o espetáculo “Rolê” no dia 20, sábado, às 16h, no Teatro da Unidade. Escrita e produzida pela Cia. Arthur Arnaldo, a comédia traça um panorama sobre as dificuldades da definição da sexualidade.

A peça retrata a efervescência da descoberta do sexo e as fronteiras entre amor e sexo e púbico e privado: Bruno falhou com Andréia. Carina sugere que ela experimente com garotas. Felipa namorava com Letícia. Tomás namora Felipa e quer fazer uma noite a três. Bruno consegue com Carina e com Tomás. Um vídeo íntimo acaba parando no celular de todo mundo. A coordenadora não consegue compreender tantas relações. Estas são algumas das situações mostradas no espetáculo.

Quando

Sábado, 20/05, às 16h

Fique Atento

A retirada dos ingressos acontece com 01 hora de antecedência

Preço

Gratuito

Local

Sesc Sorocaba - Rua Barão de Piratininga, 555 - Jardim Faculdade

Site

www.sescsp.org.br/sorocaba

 

fonte: http://agendasorocaba.com.br/sesc-sorocaba/role/ 



Escrito por Tuna Serzedello às 19h08
[] [envie esta mensagem
] []


 

 
[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]